PUBLICIDADE
Operação “Top Down” da Polícia Civil termina com 13 presos e mais de R$ 55 mil reais apreendidos
12/02/2021 22:30 em Policia

Operação “Top Down” da Polícia Civil termina com 13 presos e mais de R$ 55 mil reais apreendidos

 Agentes cumpriram mandados de prisão e de busca domiciliar com o objetivo de desmantelar organização criminosa com atuação no tráfico de drogas e na lavagem de dinheiro

Policiais civis participaram nesta sexta-feira, dia 12/02, da Operação “Top Down”, deflagrada em Piraju, por meio da Delegacia de Polícia do Município. No total, 13 pessoas foram presas por mandado e um menor apreendido. Durante a ação também foram realizadas buscas domiciliares que resultaram na apreensão de R$ 55.365 e mais de meio quilo de drogas, entre maconha e crack, bem como em três autuações em flagrante por tráfico de entorpecentes. Os policiais apreenderam ainda vários celulares, equipamentos de informática, cartões bancários, apetrechos para preparação de drogas e algumas documentações que sugerem a atividade ilegal desenvolvida pelo grupo.

As incursões ocorreram em Piraju e em Chavantes, na região de Ourinhos. Uma força tarefa de aproximadamente 40 viaturas e 100 policiais, entre eles, delegados, investigadores, escrivães, carcereiros, agentes, estiveram empenhados nos cumprimentos das medidas cautelares. A Divisão Especializada de Investigações Criminais (DEIC) de Sorocaba, policiais civis das Seccionais de Avaré, Botucatu, Itapeva e Ourinhos, bem como integrantes da Guarda Civil de Itararé, apoiaram a operação. Cães farejadores da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) também foram utilizados para localizar entorpecentes.

De acordo com a Polícia Civil, os detidos, entre os quais duas mulheres, encontram-se recolhidos nas Cadeias Públicas de Piraju e de Cesário Lange, onde aguardarão o prazo de cumprimento da prisão temporária (30 dias). Os autuados em flagrante deverão ser submetidos à audiência de custódia e se a privação da liberdade for mantida serão transferidos para unidades da SAP. Já o menor foi apresentado à Promotoria de Infância e Juventude.

 

DESDOBRAMENTO

 

A operação “Top Down” é desdobramento de uma investigação desenvolvida desde o ano de 2019 pela Polícia Civil, cujo objetivo era desarticular uma organização criminosa com atuação no tráfico de drogas e na lavagem de dinheiro em Piraju, com ramificação nos municípios de Ponta Porã e Dourados, no Estado do Mato Grosso do Sul, onde atuavam parte dos fornecedores de substâncias entorpecentes.

Após colheita de provas, prisões em flagrante e apreensões de drogas relacionadas à atuação de parte dos investigados, a unidade policial obteve da Justiça os mandados contra os principais articuladores do grupo. A Polícia Civil acredita que a organização é a principal responsável por abastecer o mercado de drogas em Piraju, Cerqueira César, Fartura, Manduri, Sarutaiá, entre outras cidades da região.

Durante a investigação, também se verificou uma grande movimentação bancária de alguns envolvidos e crescente aquisição de patrimônio, como veículos e imóveis, incompatível com a renda dos mesmos, descoberta que motivou uma nova etapa investigativa. Primeiro, descobriu-se o líder dessa organização e, posteriormente, outros membros do grupo. Foram identificadas pelo menos 30 pessoas que agem na negociação, transporte, ocultação e comercialização de substâncias entorpecentes, além da lavagem de dinheiro.

 AÇÃO CONJUNTA

 Na última quarta-feira, dia 10/2, durante ação conjunta com troca de informações entre a Polícia Civil de Piraju e a Polícia Rodoviária Federal, foi realizada em Ourinhos a apreensão de uma carga de aproximadamente 100 quilos de maconha pertencente à organização criminosa alvo da operação desta sexta-feira. O material, segundo a investigação, tinha como destino abastecer o mercado de drogas na região sudoeste paulista.

Na ocasião foram presos dois indivíduos do Estado do Mato Grosso do Sul e apreendidos dois adolescentes, bem como veículos utilizados para transportar a carga. Essa ocorrência, segundo a Polícia Civil, fortaleceu ainda mais as provas reunidas contra o grupo investigado pela Delegacia de Piraju.

COMENTÁRIOS