PUBLICIDADE
Polícia Civil prende suspeito de matar padeiro com golpes de faca
23/02/2021 15:10 em Policia

Polícia Civil de Piraju/SP, prende suspeito de matar padeiro com golpes de faca

Crime aconteceu em julho de 2020; vítima foi encontrada com várias perfurações no corpo Está preso preventivamente desde sexta-feira, dia 19/02/2021, o homem apontado pela Polícia Civil como o autor de um homicídio qualificado ocorrido em Piraju, no ano passado.

A vítima, o padeiro Waldemar Aparecida da Silva, teve o corpo perfurado por faca no pescoço, peito e nos olhos. O suspeito está recolhido no Centro de Detenção Provisória de Cerqueira César. Morador de Piraju, ele permanecerá preso até a Justiça definir seu destino.

A Delegacia local aguarda laudos periciais para concluir o inquérito e fazer a remessa ao Ministério Público da cidade. Caso seja denunciado, o acusado será julgado pelo Tribunal do Júri. A Polícia Civil chegou ao autor depois de criterioso trabalho, iniciado de forma preliminar ainda na cena do crime.

Foram colhidas provas que foram fundamentais para definir a principal linha de investigação, que apontava como principal suspeito uma pessoa próxima da vítima. Diversas testemunhas prestaram depoimento e colaboraram para firmar a convicção dos investigadores.

Segundo a Polícia Civil, o acusado conhecia a vítima e agiu sozinho. Conforme apurado no inquérito, houve um desentendimento entre eles por motivos banais, o que motivou o ataque responsável pela morte violenta do padeiro. O CASO - Waldemar Aparecido da Silva, então com 52 anos, foi morto com vários golpes de faca dentro de sua própria casa, na Vila do Tico, em Piraju, no dia 27 de julho de 2020.

O crime chamou a atenção das autoridades por ser atípico para os padrões do município. Na época, de acordo com informações da Polícia Civil, foram reunidas provas na cena do crime que auxiliaram na elucidação do caso, entre as quais bilhetes manuscritos deixados no local para desviar as investigações.Fonte : Assessoria de Imprensa Policial Civil - Cristiano Martins.

COMENTÁRIOS